Manutenção dos currais
As instalações de um confinamento devem ser planejadas de forma a atender as necessidades dos animais e facilitar os manejos.
Manutenção dos Currais

Devem também ser projetadas levando-se em consideração as características de cada propriedade incluindo clima, topografia, características do solo e disponibilidade de alimentos e água.
A escolha de locais inadequados, associada ao mau dimensionamento das instalações e erros na execução do projeto, podem aumentar o risco de acidentes e resultar em maior ocorrência de poeira ou lama, que comprometem o bem-estar de todos (humanos e animais), prejudicam o desempenho dos bovinos e dificultam a rotina de trabalho no confinamento. Avalie as condições de pisos, cochos, bebedouros, cercas e estruturas de sombreamento regularmente e adote ações corretivas sempre que necessário. Reduza o risco de acidentes com os animais, tampe os buracos e recolha pedras e outros materiais (pedaços de arame ou madeira e sacos plásticos) que estejam dentro dos currais de confinamento. Mantenha os currais de confinamento sempre em boas condições de uso.

Manutenção dos Currais

Currais em boas e más condiçõesPisos

Os bovinos não gostam de ficar em locais enlameados. A cada 8 a 10 cm de lama, a eficiência alimentar decresce entre 6 a 8%. Além disso, quando mantidos nessas condições os animais passam mais tempo em pé, ruminam menos, gastam mais energia para se locomoverem e reduzem o consumo de alimento, resultando na redução do ganho de peso em até 37%. Portanto, muita atenção a qualquer fator que aumente o risco de formação de lama no curral! Certifique-se de que o sistema de drenagem esteja funcionando bem e limpe os currais regularmente. Faça reposição de cascalho nas áreas mais susceptíveis à formação de lama, em especial nas áreas próximas ao cocho e bebedouro.
Há situações em que a formação de lama é inevitável, nestes casos é recomendado fazer elevações do piso dos currais (denominados montes ou “solário”) como uma estratégia para aumentar a disponibilidade de áreas secas para os animais se deitarem.

Durante o período de seca dê atenção especial para o controle da poeira. É comum usar sistemas de aspersão para reduzir o risco de ocorrência deste problema. Certifique-se de que o sistema de aspersão está bem dimensionado e instalado e realize a manutenção necessária para corrigir vazamentos, entupimentos, baixa ou alta pressão da água ou qualquer outro problema.

Acione os aspersores quando houver condições de baixa umidade do ar e no piso e nos horários em que há maior atividade dos animais. Outra maneira de reduzir a poeira é usando caminhões pipa ao longo das vias de acesso onde há constante trânsito de animais e maquinários.

Publicado originalmente no manual Boas Práticas de Manejo – CONFINAMENTO

Fernanda Macitelli
Grupo ETCO, ICAT-UFMT, Rondonópolis-MT
Janaina da Silva Braga
Grupo ETCO, FCAV-UNESP, Jaboticabal – SP
BEA Consultoria e Treinamento, Jaboticabal – SP
Mateus J. R. Paranhos da Costa
Grupo ETCO, Departamento de Zootecnia, FCAV-UNESP, Jaboticabal-SP

Jaboticabal-SP
Funep
2018


Related Posts

Leave a comment